O amor e a (re)invenção da vida no contemporâneo: Lacan com Badiou

Rebeca Espinosa Cruz Amaral, Rogério Robbe Quintella

Resumo


Desde os primórdios da humanidade, a presença do amor tem sido acompanhada de diversas tentativas, de diferentes campos, de versar sobre ele. Tendo isso em vista, o presente estudo se propôs, por meio de uma revisão bibliográfica, a pensar as postulações sobre o amor a partir de articulações possíveis entre as obras de dois autores de diferentes campos: Lacan, psicanalista que dá seguimento e avança nas teorizações feitas por Freud; e Badiou, filósofo e autor de um livro dedicado a essa temática. Evidenciou-se que ambos consideram o enlaçamento amoroso como o que se constitui como uma tentativa de “costura” frente ao impossível da relação sexual, que só se apresenta contingencialmente e se dá a partir de (re)invenções singulares. Abordou-se, nessa linha de pensamento, a aposta de Badiou no amor como uma contraexperiência frente ao mundo de interesses próprios no contemporâneo e a reinvenção do amor um dos possíveis pontos de resistência hoje à obscenidade mercantil.


Palavras-chave


Amor. Contemporaneidade. Invenção. Psicanálise. Badiou.

Texto completo:

PDF