O aleitamento materno de recém-nascidos prematuros após a alta hospitalar

Cynthia Márcia Romano Faria Walty, Elysangela Dittz Duarte

Resumo


Objetivo: Analisar aspectos da vida cotidiana relacionados ao aleitamento materno exclusivo de recém-nascidos prematuros após a alta hospitalar. Método: Pesquisa com abordagem qualitativa pautada no referencial da dialética cujo cenário foram quatorze domicílios de recém-nascidos prematuros que receberam alta da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital Sofia Feldman em Belo Horizonte. Para coleta de dados, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com as mães dos recém-nascidos e observações dos participantes. Os dados foram analisados utilizando-se a técnica de análise de conteúdo e a de construção de narrativas. Resultados: Evidenciou-se que o aleitamento materno de recém-nascidos prematuros é vivenciado de forma singular por cada mulher em seu cotidiano. Verificou-se que a rede social funcionou como mediadora da amamentação tanto incentivando como desencorajando sua continuidade e que a experiência da amamentação, vivenciada pelas mulheres, durante a internação de seus filhos, foi identificada como uma possibilidade de aprendizado com a equipe de saúde. Conclusão: Afirmamos que há necessidade de continuidade da assistência ao recém-nascido prematuro para apoiar a mulher no processo da amamentação. Faz-se necessária uma abordagem tanto pelas políticas públicas como pelos profissionais de saúde, que contemple não apenas os aspectos biológicos do aleitamento, mas também os emocionais, históricos e sociais que envolvem esse complexo processo.

Palavras-chave


Aleitamento materno; Recém-nascido; Prematuro; Relações mãe-filho; Assistência domiciliar.

Texto completo:

PORT ENG


ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175