Necessidade de remanejamento entre setores: percepção dos técnicos de enfermagem em um hospital

Humberto Ferreira de Oliveira Quites, Cristiane de Oliveira Moreira, Fabiana do Carmo Vieira, Giorgia Emilly Ferreira Carvalho Corso, Marina Celly Martins Ribeiro de Souza, Edna Lúcia Campos Wingester

Resumo


Objetivo: Analisar as percepções dos técnicos de enfermagem de um hospital de pequeno porte sobre o remanejamento entre setores. Método: Pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, em que os dados foram coletados por meio de entrevistas com trinta técnicos de enfermagem, utilizando-se o método de saturação. O material foi analisado a partir da análise de conteúdo proposta por Bardin. Resultados: Os resultados apontaram que o remanejamento é considerado, pelos colaboradores, uma situação eventual e necessária à rotina de trabalho. Entretanto, pode-se observar que causa desconforto à equipe e que deve ser realizado com critérios que não impactem no processo de trabalho dos envolvidos. Os pontos negativos elencados pelos colaboradores, neste processo, foram a sobrecarga de trabalho e a mudança de setor, entretanto os mesmos citaram a possibilidade de aprendizado e aperfeiçoamento profissional, como pontos positivos do remanejamento. Conclusão: O remanejamento é percebido como parte da rotina pelos profissionais, sendo necessário um investimento, por parte da gestão, para prevenir situações de desconforto e desarranjos que impactem na saúde ocupacional de seus colaboradores bem como na qualidade da assistência de seus pacientes.

Palavras-chave


Enfermagem; Gestão em saúde; Prática profissional; Administração de recursos humanos em hospitais.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v7i0.1799

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175