Concepções, práticas e perspectivas de ações de saúde coletiva: ótica de articuladores da atenção básica

Lina Karina Bernal Ordoñez, Cássia Irene Spinelli Arantes

Resumo


Objetivo: analisar o desenvolvimento de ações de saúde coletiva em municípios do estado de São Paulo, sob a perspectiva de
articuladores da atenção básica. Método: pesquisa do tipo descritiva, com abordagem qualitativa, realizada com dez articuladores
da atenção básica. Para a coleta de dados, utilizou-se a técnica de entrevista semiestruturada e as falas foram submetidas à análise
de conteúdo na modalidade temática. Resultados: emergiram quatro categorias temáticas – concepções de saúde coletiva;
contextos que desfavorecem o desenvolvimento de ações de saúde coletiva; contextos que favorecem o desenvolvimento de ações
de saúde coletiva; e propostas para o planejamento e desenvolvimento de ações de saúde coletiva na atenção básica. Conclusão:
há diversos desafios para a prática da saúde coletiva na atenção básica, dentre eles, a falta de reuniões de equipe e o fato de alguns
gestores municipais de saúde terem dificuldade para se comunicar e dialogar com as equipes da área. O agente comunitário e o
coordenador da atenção básica foram identificados como importantes aliados para o fomento de práticas de saúde coletiva na
atenção básica.

Palavras-chave


Atenção Básica à Saúde; Gestão em Saúde; Saúde Coletiva

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v8i0.2587

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175