Infecções associadas ao uso de dispositivos invasivos em idosos internados em unidade de terapia intensiva

Samara Mariana Ferreira Silva, Fernanda Alves dos Santos Carregal, Jaqueline Almeida Guimarães Barbosa, Fernanda Batista Oliveira Santos

Resumo


Objetivo: Caracterizar a ocorrência de infecções associadas ao uso de dispositivos invasivos em idosos internados em unidade de terapia intensiva. Método: Estudo retrospectivo, descritivo. Foram analisados dados de prontuários de idosos internados, em uma unidade de terapia intensiva e do banco de dados do serviço de controle de infecção hospitalar, relativos a 10 meses de atendimento. Realizaram-se análises estatísticas descritivas. Resultados: Dentre os 428 idosos internados, 12% (53) tiveram infecções associadas ao uso de dispositivos invasivos, sendo 50,9% mulheres, a maioria (39,6%) e entre 60 e 69 anos. Predominaram as infecções do trato respiratório associadas à ventilação mecânica (44,3%) e microrganismos gram negativos (66%), sendo a Klebsiella pneumonia (18,4%) a mais prevalente. Do total de idosos com infecções, 39,6% morreram. Dentre os 58,4% que saíram de alta, para outras unidades do hospital, 58% faleceram na instituição. Conclusão: A prevenção das infecções relacionadas ao uso de dispositivos invasivos, considerando a vulnerabilidade da população idosa, é fundamental, bem como o monitoramento epidemiológico e gestão dos riscos a ela relacionados. A qualificação dos profissionais de saúde e, em específico, da enfermagem deve ser realizada de forma sistemática para se avançar na qualidade assistencial.

Palavras-chave


Enfermagem; Infecção hospitalar; Unidades de Terapia Intensiva; Segurança do paciente.

Texto completo:

PORT ENG


ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175