Acolhimento em unidades de pronto atendimento: percepção de idosos e seus familiares

Giovana Aparecida de Sousa Scolari, Leidyani Karina Rissardo, Vanessa Vanessa Denardi Antoniassi Baldissera, Celmira Lange, Maria Aparecida Salci, Ligia Carreira

Resumo


Objetivo: Compreender as práticas de acolhimento em Unidades de Pronto Atendimento na perspectiva de idosos e familiares à luz da Política Nacional de Humanização. Métodos: Estudo qualitativo realizado junto a vinte idosos e cinco familiares, que foram atendidos em duas Unidades de Pronto Atendimento. Os dados foram coletados, por meio de entrevistas semiestruturadas, e a análise conduzida pelas etapas analíticas da Grounded Theory. Resultados: Evidenciou-se que o acolhimento é percebido entre as práticas de receptividade, ao entrar no serviço e na escuta qualificada. Entretanto, também foram constatadas algumas dificuldades, como a demora pelo atendimento e aspectos referentes a ambiência e infraestrutura que prejudicam a acomodação adequada dos usuários. Conclusão: Apesar dos idosos sentirem-se satisfeitos, em decorrência de as necessidades de saúde serem supridas, há urgência na reestruturação e na organização dos serviços, capacitação profissional e estratégias de atendimento que proporcionem a esta população uma assistência com responsabilidade.

Palavras-chave


Acolhimento; Humanização da Assistência; Enfermagem em Emergência; Idoso; Enfermagem Geriátrica.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3726

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175