Políticas públicas e juventude: análises sobre o protagonismo juvenil na perspectiva dos jovens pobres

Silva Alexsandra Maria Sousa, Veronica Morais Ximenes

Resumo


Propõe-se, no âmbito deste artigo, problematizar discussões sobre juventude, pobreza e políticas públicas, a partir de questões centrais para o enfrentamento das vulnerabilidades sociais, por parte dos jovens. O objetivo deste estudo é analisar a compreensão e o exercício do protagonismo no modo de vida de jovens pobres, a partir de uma pesquisa qualitativa, realizada no Centro Urbano de Cultura, Ciência, Arte e Esporte (Cuca), em Fortaleza (CE). A metodologia baseou-se na observação-participante, grupo focal e entrevistas individuais. Os dados foram analisados a partir da Análise de Conteúdo, com auxílio do software Atlas TI 5.2. Neste estudo são apresentadas categorias emergentes do conceito de protagonismo juvenil, como atuação social, participação política e autonomia. Os resultados indicaram que as juventudes têm potenciais de inventar novos modelos de participar da sociedade, produzir intervenções políticas e criar suas próprias estratégias de enfrentamento às privações cotidianas.


Palavras-chave


Protagonismo. Juventude. Pobreza. Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br