A contribuição de Simondon para uma ética do feminino no fazer pesquisa.

Maria de Fátima Aranha de Queiroz e Melo

Resumo


Uma ética inspirada em Simondon enseja um modelo de fazer pesquisa que nos provoca a pensar de maneira divergente da ciência hegemônica, apontando o seu caráter ideológico, por vezes racista e sexista, assim como para a sua incapacidade de acolher o diferente. Para a construção de um modelo em sintonia com a busca de alternativas a um enquadramento normativo, evocamos feministas que, inspiradas no trabalho de primatólogas, se permitem usar outro artefato de pesquisa, trazendo, à discussão, práticas de campo até então pouco usuais que envolvem o tempo e a maneira de observar, a distância entre pesquisadores e pesquisados, a construção do meio justo da ação, a renúncia ao controle e a formulação de questões interessantes para ambos, tendo como norte o que Despret chamou de “polidez no fazer conhecimento”. Essas ações são defendidas neste ensaio poisperformam um conjunto de práticas para uma boa pesquisa, não por esta ser empreendida por mulheres, mas por ser praticada com ética.

Palavras-chave: Simondon; Ética; Feminino; Pesquisa


Texto completo:

PDF


A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br