As possibilidades de intervenção do psicólogo em favor dos procedimentos de doação de órgãos e transplantes: um relato de experiência

Elizielly de Oliveira Martins, Hugo Silva Valente, Lara Brum de Calais

Resumo


Este relato de experiência apresenta, primeiramente, uma breve revisão sobre o funcionamento dos procedimentos de doação de órgãos e transplantes no Brasil, em termos de regulamentação jurídica, protocolos técnicos e questões éticas envolvidas. Num segundo momento, argumentamos sobre a necessidade de atuação do psicólogo na chamada “cadeia de doação”. Por fim, apresentamos o relato de experiência de um projeto realizado em um hospital geral, situado em uma cidade da Zona da Mata Mineira, que demonstra como a intervenção psicológica grupal pode melhorar os serviços de conscientização social sobre a importância da doação de órgãos. Em longo prazo e em escalas maiores, as intervenções psicológicas podem funcionar como ferramenta de redução das filas de espera para transplantes, por meio da modificação de opiniões muitas vezes fantasiosas sobre esse procedimento que tem salvado vidas em todas as partes do mundo.

Palavras chave: Doação de órgãos; Transplante de órgãos; Atenção primária; Psicologia hospitalar.


Texto completo:

PDF


A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br