Experiência de Acompanhamento Terapêutico: do hospital à cidade

Mauricio Neto, Magda Dimenstein

Resumo


Acompanhamento Terapêutico (AT) é um dispositivo clínico-político que se insere no campo da saúde mental como poderoso instrumento de construção da autonomia e da emancipação social, política e cultural do louco. A experiência de acompanhamento de um louco infrator baseado na política da amizade permitiu desinstitucionalizar os cuidados em saúde mental e criar novas possibilidades de vida. O processo de acompanhamento buscou romper com as lógicas tradicionais de cuidado, tais como a terapêutica disciplinar e a terapêutica de controle. Nesse sentido, apostamos nas estratégias de enlace social e expansão territorial para a constituição de redes sociais, de modo que o acompanhado e sua família recebam apoio e suporte. Os encontros produzidos no AT possibilitaram aumento de autonomia, na medida em que o acompanhado passou a decidir e construir novos projetos de vida.

Palavras-chave: Acompanhamento terapêutico; Cuidado; Saúde mental; Autonomia.


Texto completo:

PDF


A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br