Colonialidade e práticas cotidianas em Minas Gerais – Brasil

Vera Lucia Ermida Barbosa, Maria Inácia D’Ávila

Resumo


Este ensaio tem como objetivo principal analisar o cotidiano e suas táticas de resistência sob a perspectiva da colonialidade. As conceituações, categorias e formas de argumentação da Reflexão Decolonial propostas pelo Grupo Modernidade/Colonialidade Latino-americanonos apoia e constrói o cenário acerca do colonialismo e do pós-colonialismo brasileiro. As teorizações de Michel de Certeau subsidiam a reflexão acerca dos fragmentos do cotidiano presentes na narrativa de Dona Maria, moradora do povoado do Bichinho em Minas Gerais. Nossa intenção é contribuir para as reflexões acerca da colonialidade como herança do sistema-mundo moderno/colonial e sua expressão no cotidiano dos povos subalternos na perspectiva de identificar fissuras por onde se evidenciam as inúmeras formas de resistência e subversão.

Palavras-chave: colonialismo; colonialidade; práticas cotidianas; decolonialidade.


Texto completo:

PDF




A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br