Afetividade, liberdade e atividade: o tripé terapêutico de Nise da Silveira no Núcleo de Criação e Pesquisa Sapos e Afogados

Patrícia Fonseca de Oliveira, Walter Melo, Marcos Vieira-Silva

Resumo


 

Este estudo se insere nos debates acerca da reabilitação psicossocial de cidadãos em sofrimento psíquico. As categorias que compõem o tripé terapêutico de Nise da Silveira – afetividade, atividade e liberdade – constituem um conjunto conceitual para analisar os discursos dos integrantes do Núcleo de Criação e Pesquisa Sapos e Afogados, de Belo Horizonte, MG, Brasil, que trabalha com teatro e cinema e é formado por usuários da rede de saúde mental. A pesquisa de campo foi efetuada a partir de observações dos ensaios e trabalhos do grupo, além de entrevistas individuais semiestruturadas. Foram entrevistados seis atores e a diretora. A análise desses discursos teve cunho foucaultiano. Como resultado, constatou-se a importância do tripé terapêutico proposto por Nise da Silveira na prática cotidiana do grupo Sapos e Afogados. Foram também elaboradas reflexões em torno do poder disciplinar no campo da saúde mental e acerca do lugar de resistência do grupo.

Palavras-chave: reabilitação psicossocial; arte; saúde mental; Nise da Silveira.


Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado semestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br