Um arranjo formativo em economia solidária para alunos do fundamental

Adriane Drummond de Almeida Ciodaro, Ediméia Maria Ribeiro de Mello

Resumo


Este artigo aborda uma questão relacionada à capacidade do programa de educação integral do MEC vir a contribuir para a autonomia dos estudantes moradores de comunidades pobres. Referenciais teóricos relacionados aos conceitos de autonomia, autogestão, empoderamento comunitário e empreendimento solidário contribuem para a reflexão e sistematização de uma experiência desenvolvida em uma escola municipal de Belo Horizonte, de simulação, planejamento e implementação de um empreendimento solidário, com os estudantes, visando as demandas da comunidade e de forma articulada com ela. Essa reflexão baseou-se em pesquisa documental, bibliográfica e empírica e resultou na proposição de uma metodologia a ser aplicada no tempo e espaço da educação integral, por meio de oficinas e atividades de inserção na comunidade, na forma de um manual de um arranjo formativo para a educação integral em emprendorismo solidário, visando à articulação dos recursos e demanda locais de comunidades pobres.


Palavras-chave


Educação Integral; Empreendedorismo Solidário; Empoderamento Comunitário; Comunidade Pobre.



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br