Uso de crack e suporte familiar: implicações na assistência

Michelle Maria Campos Carvalho, Suely de Melo Santana

Resumo


Ao propor um olhar para o fenômeno do consumo do crack, a partir da triangulação de perspectivas dos diversos atores envolvidos na atenção e cuidado, esta pesquisa objetivou investigar a relação entre a perspectiva de suporte familiar de usuários de crack, familiares e de técnicos sociais do Programa ATITUDE, analisando as possíveis implicações dessas percepções na assistência aos usuários e seus familiares. A metodologia foi mista, utilizando-se o Inventário de Percepção de Suporte Familiar (IPSF) com 46 usuários e entrevista semiestruturada com 8 respondentes do (IPSF), 12 técnicos e quatro familiares. Os resultados apontaram: predominância da percepção de um baixo suporte familiar, evidenciada na análise quantitativa, sendo consoante com a fala dos demais participantes durante a entrevista. Em consonância com a literatura, neste estudo também se constatou a predominância do apoio materno e a influência dos pares se sobrepondo à da família na relação dos usuários com o crack.

Palavras-chave: Droga (crack). Família. Suporte familiar. Programa socioassistencial.


Palavras-chave


Droga (crack). Família. Suporte familiar. Programa socioassistencial.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br