Como o crack e outras drogas podem influenciar no desenvolvimento de crianças que foram expostas durante o período gestacional

Amanda Prachthäuser Rodrigues, Daniela Dalcim, Morgana Eschenbach, Vancéli dos Santos Ramos, Luiz Arthur Rangel Cyrino

Resumo


Diante de pesquisas realizadas em base nacional e internacional, a alta incidência de gestantes usuárias de crack tem conotado importante debate acerca de suas consequências, principalmente para a criança. Portanto, este artigo procura descrever os efeitos do crack, que podem gerar consequências desde a formação do feto e prolongar-se ao longo do desenvolvimento da criança. Observou-se que o crack, durante o período pré-natal, interfere diretamente no desenvolvimento cognitivo do feto e que fatores externos podem colaborar para que esses efeitos perdurem pela infância. Entre as consequências, têm-se problemas com aprendizagem e atenção, problemas sociais, na formação neurológica, além de raras malformações. Compreende-se que o uso de crack durante a gestação implica questões psicossociais e está relacionado a patologias comportamentais.

Palavras-chave: Ambiente familiar. Aprendizagem. Crack. Usuárias. Crianças.


Palavras-chave


Ambiente familiar. Aprendizagem. Crack. Usuárias. Crianças.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br