O maternar como atividade de trabalho

Lívia Borges Hoffmann Dorna, Hélder Pordeus Muniz

Resumo


Este artigo se propõe a pensar sobre a experiência do maternar como um trabalho, analisado à luz da perspectiva da Ergologia e da abordagem da Psicodinâmica do Trabalho. Nesse sentido, afirmamos que ele envolve saberes desenvolvidos na atividade e escapa a qualquer tentativa de simplificação, uma vez que envolve gestão e a mobilização de uma inteligência inventiva. Sem perder de vista a perspectiva das relações de gênero, ratificamos que o maternar opera de maneira distinta à noção de instinto: trata-se de um trabalho de care, que exige competências específicas. Finalizamos com a aposta de que lançar luz sobre esses saberes pode ser um caminho promissor para dar mais visibilidade ao trabalho de mãe.


Palavras-chave


Maternar. Trabalho de care. Gênero. Competências.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br