Redução de danos em rave no Rio Grande do Sul: concepções de uma ação

Luciane Marques Raupp

Resumo


A música eletrônica está fortemente enraizada na cultura musical do mundo pós-moderno e, se por um lado pode ser encarada como um movimento de apologia ao uso de psicoativos, por outro abarca grupos que realizam intervenções de redução de danos em festas e festivais. Esta pesquisa teve como objetivo apresentar o modo de trabalho em uma ação realizada pelo Coletivo Lótus de Redução de Danos (RD), em uma festa rave no Rio Grande do Sul, a fim de descrever o evento, o trabalho do Coletivo, a compreensão dos redutores que atuaram no evento sobre riscos e danos nesse contexto e as potencialidades do tipo de intervenção realizada. A partir dessas ações, pode-se perceber a necessidade desse tipo de trabalho em festas de música eletrônica, em decorrência da falta de informação sobre o efeito e qualidade de substâncias psicoativas e sobre ações de reduções de riscos e danos.


Palavras-chave


Redução de danos. Rave. Música eletrônica. Saúde Pública.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br