“Foguete ou tiro?”: a produção de subjetividade de juventudes a partir do território

Paloma de Almeida Albergaria Lanna, Matheus Henrique Silva, Lara Brum de Calais

Resumo


O presente artigo objetiva analisar os efeitos que o território produz na construção da subjetividade da população jovem moradora de um bairro periférico da cidade de Juiz de Fora/MG. A pesquisa se deu a partir do referencial metodológico da Pesquisa-Ação Participante de base qualitativa e tem como ferramenta de levantamento de informações o grupo focal, mediado pelo roteiro com perguntas disparadoras da discussão. Ao todo, participaram da pesquisa 10 jovens, entre meninas e meninos. Por meio dos grupos focais realizados, foi possível compreender que o território exerce grande influência na construção de subjetividades, principalmente no que tange à categoria juventude e, esse território, é perpassado por diversos outros fatores como a violência, o tráfico de drogas e o medo. Todas essas questões compõem as realidades e forjam conceitos sobre os sujeitos que as vivenciam, influenciando assim rotas, hábitos e sentimentos de pertencimento a um lugar.


Palavras-chave


Juventude. Subjetividade. Território. Psicologia Social.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br