Impacto biopsicossocial da perda dentária em trabalhadores brasileiros de área rural

Patrícia Morgana Hordonho Santillo, Cristiano Moura, Renata de Souza Coelho-Soares, Estela Santos Gusmão, Paulo Cesar Oliveira Santos

Resumo


As perdas dentárias podem diminuir a capacidade mastigatória, limitando o consumo de alimentos, como também afetar a fonação e a estética, originando alterações físicas e psicológicas, o que pode comprometer a qualidade de vida dos indivíduos afetados. Este estudo teve como objetivo caracterizar os impactos biopsicossociais com repercussão na qualidade de vida percebidos por trabalhadores brasileiros de áreas rurais em decorrência da perda dentária. Foram entrevistados 186 trabalhadores, maiores de 18 anos, de uma usina de açúcar da área rural da cidade de Catende/PE entre setembro e novembro de 2010. Na avaliação da condição de saúde bucal, utilizou-se o questionário Oral Health Impact Profile, versão reduzida (OHIP-14), e o índice de dentes cariados, perdidos e obturados (CPO-D). Os resultados indicaram que as perdas dentárias produziram impactos funcionais, físicos, psicológicos e sociais nos indivíduos investigados, com variação na intensidade do impacto de acordo com a quantidade de perdas medida pelo CPO-D.

Palavras-chave


perda dentária precoce; impacto biopsicossocial; população rural.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br