Consumo, Mídia e Identidade Juvenil Emocore

Luciana Rodrigues Bezerra, Herculano Ricardo Campos

Resumo


A identidade juvenil Emocore, que emergiu nos anos 2000, se mostra diferente da proposta do movimento musical surgido em meados da década de 1980. O emo atual se utiliza de apetrechos estéticos e comportamentais, sendo assim identificado e rotulado na sociedade contemporânea. Com isso, o estudo objetivou analisar a construção dessa identidade juvenil como produto de consumo da indústria midiática e fonográfica, que, ao oferecer uma proposta de identificação, vendia todo um estilo de vida adolescente. A partir da fala dos jovens entrevistados, sendo parte deles ex-emos e outros não identificados com o grupo, mas somente adeptos da estética, foi possível observar que a moda emo ou “emodinha” se fez valer entre os jovens, existindo tempo suficiente para ser consumida como proposta identitária, fluida e passível de novas possibilidades juvenis. 


Palavras-chave


identidade juvenil; Emocore; música; consumismo.

Texto completo:

RESUMO PDF


A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br