Arte e saúde mental: uma experiência com a metodologia participativa da Educação Popular

Lucélia de Almeida Andrade, Thelma Maria Grisi Velôso

Resumo


Neste artigo, objetivamos relatar uma experiência de estágio desenvolvida em um Centro de Atenção Psicossocial da cidade de Campina Grande-PB. Recorremos aos pressupostos teóricos e metodológicos da Psicologia Social Comunitária, em diálogo com a metodologia participativa da Educação Popular e com os princípios norteadores da Reforma Psiquiátrica brasileira. Dentre as atividades de estágio, destacamos a facilitação de oficinas em um grupo de usuários. Por meio da utilização do método do Teatro do Oprimido e de diversas linguagens artísticas, incluindo os recursos audiovisuais, foi produzido, com a participação dos usuários em todo o processo, um documentário sobre suas histórias de vida, enfocando locais e tipos de tratamento a que foram submetidos, assim como projetos de futuro. Essa prática promoveu saúde e estimulou a autonomia e o protagonismo social dos usuários, que assumiram um lugar de criação.


Palavras-chave


Reforma Psiquiátrica; Psicologia Social Comunitária; Educação Popular; Linguagem Audiovisual.

Texto completo:

RESUMO PDF


A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br