A loucura em Ponta Grossa/PR: uma história de desigualdades expressa nas ruas

Fernanda PIMENTEL Pimentel Santos

Resumo


A relação entre a saúde mental e a pobreza revelam pessoas em situação de vulnerabilidade econômica e social, com limitações em necessidades básicas que por vezes adoecem psiquicamente. Mas esta realidade, em que o pobre adoecido emerge demandas sociais perpassa a história, unindo dois grandes estigmas sociais: o louco e o pobre. Frente a esta realidade social, o presente trabalho objetiva-se a apresentar o enlace da saúde mental, a condição de pobreza e a situação de rua no município de Ponta Grossa/PR, a partir de parte dos resultados de uma pesquisa de Mestrado do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais Aplicadas vinculado a Universidade Estadual de Ponta Grossa/PR. Para iss, ponderamos a reflexão sobre a saúde mental, a pobreza, e a situação de rua a partir do seu enlace, compreendendo a história do delineamento do fenômeno de rua e do adoecimento psíquico, perpassando pela história ocidental, brasileira, e do município estudado. O estudo constata que a atual estrutura psiquiátrica ainda é utilizada pela população e pelos profissionais que prestam atendimento ao sofrimento psíquico.

 


Palavras-chave


Reforma Psiquiátrica Brasileira; População em Situação de Rua; Condição de Pobreza.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br