O mal-estar do coletivo: uma análise sobre as liberdades individuais dentro de uma ecovila

Andrea Douat Loyola Cavalcanti

Resumo


Este trabalho visa analisar como as liberdades individuais são expressas em uma proposta de convivência voltada para o coletivo, como são as ecovilas. O presente estudo contribui para uma reflexão sobre a vida em comunidade, assim como para criar um debate sobre trocas e concessões possíveis entre indivíduo e sociedade. A partir de uma pesquisa de campo, de abordagem qualitativa (com observação participante e entrevistas), foi possível perceber que os conflitos fazem parte do cotidiano local, mas que a convivência se torna viável através de construções de estratégias e propósitos – que podem ser importantes para a elaboração de alternativas à sociedade atual. Percebemos que os desafios para se construir uma vida com senso de comunidade em uma ecovila são diários, e são observados por seus moradores de diferentes formas – ao mesmo tempo em que estes ainda estão buscando conjugar as liberdades individuais com as necessidades coletivas, em um processo contínuo.

Palavras-chave


Ecovilas. Comunidades Sustentáveis. Indivíduo. Liberdades Individuais.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br