O uso de oficina pedagógica na mediação de conflitos causados por estereótipos de gênero e sexualidade na escola: reflexões a partir de um relato de experiência.

Rafael Baioni do Nascimento, Mônica Maria Teixeira Amorin, Edson Carlos Ribeiro Silva

Resumo


A partir do relato de experiência de um estudante de licenciatura em história, apresentamos algumas reflexões sobre o papel da escola na manutenção ou no combate ao preconceito e discriminação por estereótipos de gênero e sexualidade. O estudante, durante o estágio em duas escolas públicas de educação básica da cidade de Montes Claros (MG), realizou uma oficina sobre gênero e sexualidade em resposta a conflitos interpessoais motivados por preconceito, com resultados animadores. Em diálogo com a teoria queer e com autores que discutem a resolução de conflitos e a aplicação de oficinas pedagógicas, apresentamos como os conflitos interpessoais podem ser oportunidades importantes para o aprendizado de atitudes e valores democráticos e para a formação ética, assim como mostrar que oficinas pedagógicas são ferramentas bastante úteis nesse trabalho.


Palavras-chave


Gênero e sexualidade; Educação básica; Oficinas pedagógicas; Conflitos interpessoais.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br