Psicólogas brancas e relações étnico-raciais: em busca de formação crítica sobre a branquitude

Jacqueline Meireles, Mariana Feldmann, Tamiris da Silva Cantares, Simone Gibran Nogueira, Raquel Souza Lobo Guzzo

Resumo


Este trabalho apresenta uma síntese de discussões realizadas em um grupo de estudos sobre relações étnico-raciais, composto por psicólogas brancas pós-graduandas pelo período de três semestres. Os estudos foram motivados pela lacuna na formação em Psicologia no que diz respeito às relações étnico-raciais. São discutidos os efeitos da branquitude na formação subjetiva e profissional, a partir de três eixos: 1) uma breve leitura histórica sobre a construção social da ideia de raças humanas e sua influência no pensamento psicológico brasileiro; 2) histórico sobre como a Psicologia se dedicou ao estudo das relações étnico-raciais no Brasil e 3) contribuições da Psicologia Crítica no estudo da branquitude. Esperamos que estas reflexões favoreçam a construção de diálogos com profissionais, docentes e pesquisadores de Psicologia sobre a necessidade de formação a respeito das relações étnico-raciais e, principalmente, a necessidade de se desenvolver uma branquitude crítica para uma postura ética na atuação profissional.


Palavras-chave


Psicologia; educação; branquitude; relações étnico-raciais

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br