Arquétipo, individuação e intersubjetividade: a dimensão psicossocial do sofrimento humano

Paulo Afranio Sant'Anna

Resumo


O presente artigo inicia com uma breve contextualização da Psicologia Analítica indicando as condições históricas de seu surgimento e desenvolvimento, as diferentes terminologias e perspectivas adotadas no seu estudo e os desafios impostos pela sociedade e ciência contemporâneas. Apresenta os conceitos de arquétipo e individuação evidenciando a sua transformação ao longo do processo de construção teórica de Jung. A partir desses conceitos busca identificar as constelações arquetípicas atuais e problematizar a relação entre as condições histórico-culturais contemporâneas e o sofrimento humano. Recorre a duas categorias da sociologia histórica, a modernidade e a pós-modernidade, para compreender a relação EU-OUTRO nos contextos intra e intersubjetivos e evidenciar padrões coletivos compensatórios nas patologias, nos fenômenos políticos e nas manifestações artísticas da contemporaneidade. Analisa subprocessos de diferenciação e integração evidenciando a importância da intersubjetividade no processo de individuação. Finaliza com prospecções sobre o desenvolvimento do indivíduo e da sociedade nas próximas gerações.

Palavras-chave


Psicologia Analítica; Arquétipo; Individuação; Intersubjetividade; Contemporaneidade.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br