Estágio básico em contextos comunitários: momento práxico na formação em Psicologia Social Comunitária

AMAILSON SANDRO BARROS, Marion Barros Ferreira Almeida

Resumo


Este texto tem como o objetivo central discorrer sobre o estágio básico de psicologia em contextos comunitários, tendo o CRAS como espaço e via de acesso as comunidades. As discussões e reflexões apresentadas foram desenvolvidas a partir da perspectiva da Psicologia Social Comunitária Latino-Americana. Trata-se de uma pesquisa documental, cujas informações obtidas advém de quarenta e sete relatórios finais de estágios elaborados pelos estudantes-estagiários de uma Universidade Federal e entregues aos professores supervisores no final de cada semestre letivo. Os dados coletados foram sistematizados e submetidos à análise de conteúdo, gerando as seguintes categorias: dimensão educativa e pedagógica do estágio; práticas de intervenção realizadas durante o estágio; e desafios encontrados. Observou-se que as práticas de estágio, tendo o CRAS como via de acesso às comunidades, coloca os estagiários em situações concretas de intervenção, porém isso ainda não é suficiente à formação em psicologia comunitária, sendo, portanto, um desafio a ser superado pelo curso de graduação

Palavras-chave


estágio básico; formação; contexto comunitários; CRAS; psicologia social comunitária

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br