C.G. Jung e Educação: aproximações e contribuições da tipologia junguiana para o processo educativo

Suely Teodora da Silveira, Priscila Martins, Paula Krempel Marques Burity

Resumo


Neste artigo, buscou-se compreender a concepção de educação para C. G. Jung e suas possíveis contribuições para o processo educativo, principalmente no tocante à sua teoria dos tipos psicológicos. Embora tenham sido orientados para o trabalho psicoterapêutico, os resultados apontaram que a psicologia analítica traz pressupostos relevantes que podem ser aplicados à educação. Os resultados, também, demonstraram a importância da escola na formação da consciência individual, por ser o primeiro espaço que a criança frequenta fora do ambiente familiar.  O processo transferencial e as interferências dos conteúdos inconscientes envolvidos na relação educador-aluno sugere a necessidade de atuação sobre a personalidade do educador, no sentido de desenvolver, não somente o aspecto cognitivo, mas, principalmente, a afetividade e a sensibilidade, a fim de evitar influências negativas na transmissão do conhecimento. A teoria dos tipos psicológicos contribui para pensar as diferenças individuais, ao considerar as variadas formas de cognição, adaptação e percepção do mundo.

Palavras-chave: Psicologia Analítica, Educação, Tipos Psicológicos.

 


Palavras-chave


Psicologia Analítica, Educação, Tipos Psicológicos.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br