O homem feminino na atualidade pensado à luz da psicanálise

Rogéria Araújo Guimarães Gontijo, Míria Raquel Rodrigues Morais

Resumo


Este artigo é uma pesquisa teórica que visa a percorrer os estudos de Freud e Lacan acerca do feminino. Desde os primórdios da Psicanálise, Freud discutiu a questão do feminino na histeria. Para o autor, a falta do pênis – penisneid – na mulher tornou-se a marca da feminilidade ao abordar a anatomia como destino para falar de sexualidade, considerando a anatomia como corte imbuído de consequências na dinâmica psíquica do sujeito. Mais tarde, Lacan ampliou essa visão tratando a questão em termos de significante. Para explicar isso, ele criou a tábua da sexuação, privilegiando os diferentes modos de gozo para dizer também do que é ser homem ou ser mulher pelo olhar da Psicanálise. Por meio deste estudo, ratificamos que o feminino aponta para a falta, no sentido de que está associado à figura da mulher, mas a pergunta que perpassa esta investigação é: pode um homem ser feminino? A resposta à indagação relaciona-se com o declínio do viril na atualidade. A nova vestimenta que o homem utiliza diante do afrouxamento do modelo patriarcal é ser feminino ou feminilizar-se.


Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br