A escrita como performance e as cartas como método: carta às leitoras e leitores deste artigo

Ellen Guimarães Folly

Resumo


O presente artigo tem como objetivo transmitir ao leitor a visão possível da escrita performativa como forma natural e intrínseca, uma vez que a escrita e a vida se perpassam, mostrando que o ato de escrever é, concomitantemente, se escrever e se inscrever na História. Para tanto, foi necessário o reencontro com cartas e poemas produzidos ao longo de um processo pessoal de construção de uma dissertação do mestrado em Psicologia, utilizando como pilar o encontro com as escritoras Carolina Maria de Jesus e Conceição Evaristo, suas relações pessoais e políticas com o feminino e com o labor da escrita atrelado ao viver. Dessa forma, conseguimos compreender a escrita como parte da vida, indo na contramão da laboração da escrita acadêmica, com seus processos de colonização da nossa maneira de escrever e de nossa forma de pensar e aprender, convidando, enfim, o leitor a participar de forma ativa dessa desconstrução, derrubando os conceitos de como se deve, ou não, proceder na escrita.

Palavras-chave


Escrita performativa. Experiência escrita. Cartas.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br