Marcas na/da pele “entre mulheres”: a experiência de um processo arteterapêutico no diálogo com Feminismos e Psicologias

Karla Galvao Adriao

Resumo


Este trabalho discute sobre algumas das posições que circunscrevem o encontro entre três campos do saber: a Psicologia, a Arteterapia e os feminismos pós-estruturais e decoloniais. O caminho trilhado parte das experiências vividas no grupo de estágio do Curso de Formação em Arteterapia denominado “Entre Mulheres”. Diversidade de construções e posicionamentos diante de diferenças/desigualdades eram buscados na construção desse grupo, que contou com a presença de 14 mulheres com idades entre 22 e 50 anos, de distintas classes sociais, moradoras de Recife e da sua região metropolitana, negras e brancas, com diferentes graus de escolaridade. É sobre as experiências de diversidade de desigualdades, a partir das marcas/artes desenhadas e tatuadas nas peles dessas mulheres, que este texto vai tratar, buscando deslocar alguns dos saberes/poderes da Psicologia em seus (des)encontros com as epistemes feministas, e desses dois campos com a Arteterapia como método e epistemologia.


Palavras-chave


Arteterapia; Feminismos pós-estruturais; feminismos decoloniais; processos psicossociais; grupos com mulheres

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br