O diálogo ocidente-oriente no trabalho do ator: o taoismo Chinês e a relação com os processos artísticos de Peter Brook

Carlos Frederico Bustamante Pontes

Resumo


O presente trabalho propõe refletir sobre conceitos oriundos do pensamento chinês e a relação destes com os processos artísticos do encenador Peter Brook. A partir das noções de não-ação (Wu wei) e vazio, tais quais foram concebidas pelo taoísmo chinês, pretende-se compreender o conceito de vazio, desenvolvido por Brook, e que vem norteando o trabalho criativo no teatro do diretor inglês desde 1970. A partir do significado das noções descritas no pensamento oriental por François Jullien, principalmente, pretende-se compreender melhor o significado de vazio, tal qual concebeu Brook, em seu percurso com os atores e a cena teatral contemporânea.

Palavras-chave


Taoísmo. Oriente-Ocidente. Peter Brook.

Texto completo:

PDF