Diálogos (im)possíveis: espaços e lugares da cena

Eloisa Brantes, Ines Linke

Resumo


Neste artigo, buscamos refletir como as práticas performáticas, nas instâncias de criação e (re)apresentação, usam, (re)inventam, articulam, transformam, deslocam, ignoram e/ou omitem elementos dos lugares em suas formas de interação em contextos específicos. Tal reflexão se fundamenta em duas atividades propostas pelas autoras durante a I Semana Acadêmica do Curso de Teatro da UFSJ: a performance coletiva Entre lugares - Memórias da água, experimento realizado com o grupo Urbanidades e a reflexão conceitual sobre espaços cênicos praticados no microsseminário Espaços e lugares da cena. Nas duas propostas,discutimos potencialidades, possibilidades e impossibilidades de apropriação dos lugares e seus contextos, em criações cênicas e/ou dramaturgias de ocupação de espaços alternativos. As interações da cena com as caraterísticas históricas, simbólicas, culturais, econômicas, políticas, geográficas, arquitetônicas, ecológicas, sociológicas, pré-existentes dos espaços, colocam em jogo os sentidos da performance. A atividade do lugar na configuração da cena, como campo relacional, instaura formas dialógicas de criação que deslocam a centralidade do performer como foco principal dos espectadores, e destacam um tipo de processo cênico que absorve aspectos do lugar dinamizando relações corpo-espaço que ultrapassam os limites do previsível. A partir dessa reflexão, a performance, entendida como acontecimento que instaura experiências inéditas no espaço, na subjetividade individual e/ou coletiva, será vista por meio de diálogos (im)possíveis da cena com lugares e contextos.

Palavras-chave


Lugares e contextos.Especificidade espacial.Performance.Água.

Texto completo:

PDF