O desejo puro de Antígona: ética lacaniana e dimensão trágica

Flávia Gaze Bonfim

Resumo


Este artigo busca retomar a discussão sobre a ética posta por Lacan no Seminário 7 articulada a partir da tragédia grega Antígona. Para Lacan, Antígona é uma figura ilustrativa para a psicanálise no sentido de manter uma postura radical de “não ceder a seu próprio desejo”. Com isso, o ensino lacaniano nos aponta para uma ética do desejo que se situa para além do bem e que não se assemelha a um sistema de prescrições, sendo a psicanálise a única que configura plenamente o projeto de uma ética sem obrigação.

Palavras-chave


Ética; psicanálise; desejo; tragédia; comédia.

Texto completo:

PDF