A noção psicanalítica de sintoma no tratamento fonoaudiológico

Bianca Novaes de Mello

Resumo


Pretende-se neste artigo destacar que a noção psicanalítica de sintoma pode trazer alguma contribuição para o tratamento fonoaudiológico dos sintomas da linguagem e da fala. A partir da leitura que Lacan faz da noção freudiana de sintoma, sugere-se que essa noção pode ser utilizada na clínica fonoaudiológica com o objetivo de ultrapassar a mera descrição do sintoma em prol da interpretação do mesmo, contribuindo para que se evite reduzir os sintomas da linguagem e da fala a patologias fisiológicas ou a desvios das normas da língua. Assim, apresenta-se um breve resumo histórico das diferentes concepções de sintoma no campo da fonoaudiologia. A fim de enfatizar que o uso da noção psicanalítica de sintoma na clínica fonoaudiológica não culmina em uma interpretação infinita do sentido do sintoma, destaca-se que o sintoma é definido não somente como estruturado, como uma linguagem e portador de um sentido, mas também como um modo de satisfação pulsional. Considera-se, portanto, que essa noção aplicada ao tratamento dos sintomas de fala e de linguagem pode contribuir para que se abarque a singularidade dos casos e suas posições subjetivas, sem prejuízo da aplicação das técnicas estritamente fonoaudiológicas.

Palavras-chave


Psicanálise; fonoaudiologia; sintoma; linguagem.

Texto completo:

PDF HTML