Feminino: o “sem limites” das verdadeiras mulheres

Marina Silvestre Barbosa, Susane Vasconcelos Zanotti

Resumo


O feminino na psicanálise foi concebido de variadas formas desde Freud e recebeu lugar de destaque no ensino de Lacan. Com base nas contribuições efetuadas por Lacan a partir dos anos 1970, o objetivo deste artigo é analisar o “sem limites”, como uma característica do feminino e identificar quais as consequências deste para as mulheres. Inicialmente Freud destacou como característica marcante o penisneid, porém, posteriormente Lacan propõe que o feminino é não-todo submetido à lógica fálica e, por isso, as mulheres experimentam um gozo suplementar que não possui a cobertura simbólica. Conclui-se que o gozo feminino aproxima as mulheres do real e este encontro pode ser identificado em atos que atribui-se ao de “verdadeiras mulheres”.


Palavras-chave


Psicanálise; mulheres; feminilidade

Texto completo:

PDF