Estado de torpor como “troco” na operação econômica capitalista

Nadir Lara Júnior, Andréa Paula Santos Lara

Resumo


Nas relações de trabalho da sociedade capitalista, há uma operação econômica em que os sujeitos investem sua vida para conseguir sua subsistência, por conseguinte eles ganham de “troco”, nessa operação de renúncia de gozo, o estado de torpor: apatia e subserviência para garantir a vida. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho é refletir como e quais são as estratégias usadas pelo sistema capitalista neoliberal, especialmente o brasileiro, para garantir que os sujeitos trabalhem e doem suas vidas para a manutenção do capital. Para tanto, refletimos sobre o histórico de como as relações de trabalho se estabeleceram na sociedade capitalista. Em seguida, apresentamos como se estruturam os processos ideológicos decorrentes dessas relações de trabalho. Por fim, as consequências disso para os sujeitos no atual laço social, tendo o estado de torpor como uma marca da opressão no sujeito contemporâneo. 

Palavras-chave


Gozo; trabalho; psicanálise; marxismo.

Texto completo:

PDF