Geografia e educação para o risco: uma abordagem possível

Larissa Trindade Tarôco, André Ribeiro Ferreira, Carla Juscélia de Oliveira Souza

Resumo


Os desastres naturais estão presentes em todo o planeta e são resultados de forças e processos da natureza podendo ser agravados pela ação humana. Partindo deste pressuposto, entende-se que a escola possui papel relevante na formação de cidadãos que saibam analisar e avaliar situações referentes aos processos naturais, aos sociais e a formação de áreas de riscos ambientais. No contexto da escola, o processo de ensino-aprendizagem na área de Geografia ganha destaque, na medida em que esta Ciência contempla os conteúdos essenciais para o entendimento da problemática. A importância e o interesse por esse assunto culminou no levantamento da concepção de áreas de risco ambiental entre alunos da educação básica de duas escolas públicas da cidade de São João Del Rei. A pesquisa foi realizada por meio de trabalho de campo e coleta de dados via questionário semi estruturado, respondido por alunos das séries finais do Ensino Fundamental e Médio e pelos professores. A análise prévia dos dados coletados, pautando-se a análise em referências bibliográficas ligadas à Geografia e Educação, permite afirmar que o tema é contemplado em sala de aula. No entanto, o material didático não contempla a disciplina de modo aprofundado, o que dificulta o trabalho dos professores. Destaca-se a influência da mídia, ainda como o principal meio de informação sobre o assunto. Ao final do projeto, espera-se que a análise e avaliação das respostas sejam capazes de fomentar o debate sobre a importância da educação para o risco.

 

Palavras-Chave: Concepção; Risco Ambiental; Educação Geográfica.


Palavras-chave


Espacialização; Espacialidade; Lugar.

Texto completo:

PDF