Sobre o Unheimlich: ente a literatura e a realidade da mídia

Juliana Bartijotto

Resumo


O presente artigo tem como objetivo abordar o Unheimlich, um conceito sobre o retorno do recalcado proposto por Freud. Para ilustrá-lo, utilizo algumas obras literárias (O homem de areia; O estrangeiro; Bartleby, o escrivão) e o funcionamento da imagem na mídia. A foto de Aylan Kurdi, imagem de uma criança síria encontrada morta em 2015, serviu como imagem referência para esboçar o funcionamento do Unheimlich na realidade da mídia. Essa foto viralizou, causando grande repercussão, fazendo com que ganhasse o prêmio de melhor foto do ano, eleita o símbolo da crise dos refugiados. A partir da análise das obras literárias e da imagem, extraí que o Unheimlich é um despertador de angústia que pode emergir no particular, mas, também, de modo coletivo (modo que implica o estatuto do discurso e da ideologia), uma vez que esse estranho-familiar é de ordem estrutural que emerge na relação do sujeito com o Outro. Constato, assim, que o processo de identificação e de interpelação ideológica sustenta a emergência do Unheimlich, tocando o inconsciente (recalcado) e causando angústia (inquietante estranheza) tanto na literatura quanto em imagens de barbárie que circulam atualmente na mídia.


Palavras-chave


mídia, foto, literatura, inconsciente, ideologia

Texto completo:

PDF