ROUSSEAU E A QUESTÃO DA REPRESENTAÇÃO

Alexandre Franco de Sá

Resumo


Resumo: A questão da representação é o problema central da filosofia política moderna. É na resposta a este problema que a questão da representação desempenha um papel central. Como fazer de uma pluralidade dispersa de indivíduos um sujeito político? Como elevar uma parte de um todo a uma instância que fala, pensa e quer em nome desse mesmo todo? Esta foi a questão fundamental pela qual se despoletou a política moderna. Face a esta questão, dir-se-ia que o pensamento de Rousseau se encontra numa situação ou num espaço muito particular. Trata-se de um ponto em que culmina a reflexão moderna em torno do poder, um ponto no qual a questão da representação é compreendida como o resultado daquilo a que se poderia chamar um abuso metonímico pelo qual uma parte usurparia uma prerrogativa inalienável do todo. Por outro lado, é a partir desta crítica à representação que são antecipados em Rousseau muitos dos desenvolvimentos, dos paradoxos e das dificuldades do futuro. É, então, a circunscrição deste espaço dificilmente habitável ocupado pelo pensamento político de Rousseau, a circunscrição deste espaço que se oferece como uma linha estendida entre o passado e o futuro, que aqui pretendemos brevemente levar a cabo.

Palavras-chave: Rousseau; Representação; Poder.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.