Atividades desenvolvidas por enfermeiros no PSF e dificuldades em romper o modelo flexneriano

Simone Albino Silva, Flavia Oliveira, Caroline Maia Spinola, Virginia Celia Poleto

Resumo


O Programa Saúde da Família surgiu como uma nova estratégia estruturante dos serviços de saúde, subistitutiva ao modelo Clinico-Bio-Flexneriano. Este estudo teve como objetivo conhecer quais são as atividades e principais dificuldades enfrentadas pelos enfermeiros do PSF no município de Alfenas – MG em romper com o modelo flexneriano. É um estudo descritivo, exploratório, de abordagem qualitativa, com o universo de enfermeiros atuantes nas unidades do PSF de Alfenas – MG. Utilizou-se para coleta de dados um formulário com questões objetivas que permitiram caracterizar a população e um roteiro contendo entrevista semi-estruturada. As entrevistas foram gravadas, transcritas, lidas e analisadas com base nas análises de discurso. O perfil da população revela dedicação exclusiva; experiência adquirida quanto à estrutura de toda a organização da unidade; interesse na área; busca de conhecimento contínuo nas inovações em saúde; conhecimento epidemiológico da área adscrita, mas com dificuldade em fortalecer o vínculo e reconhecer a necessidade da comunidade. Os resultados também mostram, em sua maioria, atividades exercidas pelos enfermeiros predominantemente de aspecto curativo; dificuldade quanto à autonomia; problemas de relacionamento interpessoal de pequena dimensão; descaso da gestão pública e o não entendimento da população sobre a proposta do trabalho do PSF.


Palavras-chave


Enfermagem Programa Saúde da Família; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

DOC PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.14

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175