Impacto das feridas crônicas na qualidade de vida de usuários da estratégia de saúde da família

Delciene Gonçalves Evangelista, Erika Rosa Modesto Magalhães, Diene Inês Carvalho Moretão, Marina Morato Stival, Luciano Ramos Lima

Resumo


Objetivou-se avaliar a qualidade de vida (QV) de portadores de feridas crônicas em membros inferiores (MMII) de usuários cadastrados em Estratégia Saúde da Família (ESF) de um município de Goiás. Pesquisa quantitativa descritiva, realizada em novembro 2010 á fevereiro 2011, utilizou-se o instrumento WHOQOL-Bref. Foram entrevistados 33 sujeitos portadores de feridas crônicas em MMII. Prevaleceu o sexo feminino 66,7%, com idade média de 62,7 anos (DP.=13,4 anos, MíN.=34 e MÁX.=87 anos), 78,8% tinham uma ferida, 97% de origem traumática, 60,5% localizada no membro inferior direito e 54,5% referiram pior dor possível no local da lesão, o domínio de melhor QV foi domínio ambiente com pior QV foi relações sociais, demonstrando a alteração na QV de paciente com feridas crônicas em MMII. Concluiu-se que estes pacientes necessitam de um atendimento integral e multiprofissional e acesso facilitado aos serviços de saúde.


Palavras-chave


Qualidade de vida; Ferida; Avaliação em Enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.15

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175