Empatia em saúde: revisão integrativa

Leandro Felipe Mufato, Maria Aparecida Munhoz Gaíva

Resumo


Objetivo: Analisar as publicações de pesquisas disponíveis na literatura sobre empatia no cuidado em saúde. Método: Revisão integrativa com busca de estudos primários realizada nas bases de dados LILACS, PSYCINFO, WEB OF SCIENCE, BDENF, MEDLINE e CINAHL, sem restrição de período e idioma. Resultado: A análise de 33 estudos primários mostra publicações de 1968 a 2016, originárias de diferentes regiões do mundo. Há predomínio da abordagem quantitativa com o uso de diferentes escalas psicométricas autoaplicáveis para mensurar os níveis de empatia de profissionais da saúde, estudantes ou pacientes. Há diversidade nas populações pesquisadas, locais de estudo e falta consenso entre os autores sobre como a empatia se desenvolve, perpassando explicações pelos campos da cognição, emoção e atividade neuromotora. Conclusão: O debate sobre a empatia está em pleno desenvolvimento, especialmente, quando se observam as diferentes explicações para sua ocorrência. A empatia é um forte constructo capaz de contribuir para pesquisas sobre a relação profissional-paciente.

Palavras-chave


Empatia; Relações profissional-paciente; Enfermagem; Relações médico-paciente; Revisão.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.2884

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175