Práticas obstétricas de uma parteira: contribuições para a gestão do cuidado de enfermagem à parturiente

Greici Capellari Fabrizzio, Joice Moreira Schmalfuss, Luana Silveira, Caroline Cechinel Peiter, José Luís Guedes dos Santos, Alacoque Lorenzini Erdmann

Resumo


Objetivo: descrever as práticas obstétricas realizadas por uma parteira leiga tencionando uma reflexão sobre as contribuições
dessas práticas para a gestão do cuidado de enfermagem à parturiente. Método: utilizou-se da história oral temática, na
perspectiva qualitativa, tendo como participante, uma parteira leiga, residente em um município do Norte do Estado do Rio Grande
do Sul, que atuou na assistência a gestantes, parturientes, puérperas, recém-nascidos e seus familiares. Na coleta de dados,
utilizaram-se entrevistas e diário de campo. Os dados foram submetidos à análise temática de conteúdo. Resultados:
demonstraram a atuação da parteira no pré-natal, no parto, no pós-parto e na condução de complicações, com práticas voltadas
para a gestão do cuidado de Enfermagem durante o período gravídico-puerperal, pautadas na humanização do parto e nascimento,
cuidado seguro e empoderamento da mulher. Conclusão: as práticas obstétricas realizadas pela parteira têm potencial para
contribuir para a gestão do cuidado de Enfermagem à parturiente, embora algumas técnicas adotadas, nas décadas de 1940 a
1970, necessitem de respaldo científico.

Palavras-chave


Tocologia; Parto domiciliar; Parto humanizado; Enfermagem obstétrica; Gestão em saúde.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.2892

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175