Compreensão da relação interpessoal enfermeiro-paciente em uma unidade de atenção primária fundamentada em Imogene King

Jose Wicto Pereira Borges, Thereza Maria Magalhães Moreira, Anaíze Viana Bezerra de Menezes, Aline Maria Oliveira Loureiro, Irialda Saboia Carvalho, Raquel Sampaio Florêncio

Resumo


Objetivo: compreender a relação interpessoal entre o enfermeiro e o paciente, sob a ótica do sistema interpessoal de Imogene King. Método: estudo qualitativo com dois grupos focais realizados em uma Unidade de Atenção Primária à Saúde. Os dados foram analisados por categorização temática tendo como arcabouço teórico analítico o Sistema Interpessoal do Modelo Conceitual de Sistemas Abertos. Resultados: As análises permitiram a formulação de três categorias: 1) ações da interação e comunicação impulsionadoras da efetividade nas relações interpessoais; 2) tempo e virtudes na interação e no papel do enfermeiro nas relações interpessoais; e 3) tensões nas relações interpessoais. A interação no cuidado de enfermagem esteve relacionada a ações que envolviam atenção e carinho que resultaram em vínculo terapêutico quando a comunicação foi compreensível. A interação tornasse efetiva quando há tempo suficiente para o conhecimento mútuo. Os papéis de cada sujeito estiveram permeados pelas virtudes da responsabilidade, paciência e sabedoria. A relação interpessoal pode sofrer fissuras com ações que desequilibram a relação, surgindo o estresse ou mesmo a violência. Conclusão: a relação interpessoal entre enfermeiro e paciente foi marcada por comportamentos permeados pela linguagem, capazes de serem compreendidos pelo sistema interpessoal.

Palavras-chave


Relações enfermeiro-paciente; Teoria de enfermagem; Cuidado de enfermagem; Atenção primária à saúde.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.3011

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175