Percepção de gestantes sobre a assistência de enfermagem realizada durante o pré-natal de risco habitual

Bruna Raiane Dias, Vânia Aparecida da Costa Oliveira

Resumo


Objetivo: Conhecer a percepção das gestantes vinculadas às equipes de Estratégia de Saúde da Família sobre a assistência de enfermagem realizada durante o pré-natal de risco habitual. Método: Estudo de caso com abordagem qualitativa. Participaram 18 gestantes cadastradas nas Estratégias de Saúde da Família de uma cidade do Centro-Oeste Mineiro, Brasil. A coleta de dados ocorreu de julho a agosto de 2018, por meio da associação de dois métodos, a análise documental e a entrevista semiestruturada. Para análise dos dados, utilizou-se a Análise Crítica do Discurso proposta por Normam Fairclough. Resultados: Observou-se que as gestantes percebem a assistência de enfermagem no pré-natal como momento de cuidado singular e propício à aprendizagem, atendendo às expectativas das gestantes e às recomendações presentes nos Manuais norteadores do Ministério da Saúde. Porém, notou-se também a presença de um discurso com base no modelo biomédico, centrado no tecnicismo e curativismo. Conclusão: A assistência de enfermagem à gestante vem sendo considerada como momento de singularidade do cuidado baseada no acolhimento e escuta. No entanto, algumas gestantes sentem-se inseguras quando acompanhadas pelo enfermeiro, o que revela um desconhecimento da capacidade técnica e científica desses profissionais e a hegemonia no modelo biomédico.

Palavras-chave


Cuidado Pré-Natal; Saúde da Mulher; Cuidados de Enfermagem; Pesquisa Qualitativa.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.3264

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175