Fatores associados ao relato de episiotomia em parturientes atendidas em um hospital do oeste catarinense

Joice Moreira Schmalfuss, Maira Rossetto, Lilian Baseggio, Vitoria Radichewski, Joanna d’Arc Lyra Batista

Resumo


Objetivo: identificar os fatores associados ao relato de episiotomia em parturientes atendidas em um hospital referência do oeste catarinense. Métodos: trata-se de estudo transversal realizado com mulheres submetidas a parto vaginal hospitalar. A coleta de dados ocorreu diariamente, entre agosto e setembro de 2016, por meio de questionário padronizado e informações complementadas pelo prontuário e cartão pré-natal. A variável dependente foi o relato da realização de episiotomia. Os dados foram submetidos à análise bivariada e multivariada. Resultados: foram incluídas no estudo 136 participantes. A episiotomia foi relatada por 84 (61,8%) das mulheres. Ser nulípara e ter tido número excessivo de toques vaginais ficaram associados à realização de episiotomia no modelo final de regressão logística multivariada. Conclusão: apesar de esforços no sentido de diminuir as excessivas intervenções no processo de parturição, a realidade da assistência obstétrica brasileira merece atenção e profundas mudanças. É necessário que intervenções não recomendadas e danosas como a episiotomia estejam em consonância com as boas práticas obstétricas e que intervenções realizadas de forma excessiva, como os toques vaginais, sejam evitadas.

Palavras-chave


Saúde da Mulher; Parto Normal; Períneo; Episiotomia; Paridade.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v9i0.3294

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175