Oficinas como estratégia de ensino-aprendizagem: relato de experiência de docentes de enfermagem

Elaine Cristina Rodrigues Gesteira, Elaine Cristina Dias Franco, Elen Soraia de Menezes Cabral, Patrícia Pinto braga, Virgínia Junqueira Oliveira

Resumo


Ao conduzir os alunos para o cuidado de enfermagem, notamos que os mesmos sentem-se inseguros para realizar a assistência à mulher e a criança, pois, emergem temores relacionados não somente a realização das ações de enfermagem, como também, ao desafio de articular teoria e prática. Assim este estudo objetivou relatar a experiência docente na utilização de oficinas como estratégia de ensino para a unidade curricular - prática de integração ensino serviço e comunidade (PIESC) norteada pela teoria da aprendizagem Vygotskiana.  Através das oficinas e da observação participante junto aos acadêmicos do curso de enfermagem, o estudo comportou dois movimentos, primeiro: oficina integradora, onde levantamos as dificuldades de articulação teórico-prática vivenciadas no cuidado à saúde da mulher e da criança, no segundo momento, através da oficina pedagógica, orientamos os discentes a pesquisarem os casos clínicos vivenciados na prática, com posterior apresentação e debate com a finalidade de amenizar as dificuldades teórico-práticas. Na avaliação final das oficinas, verificamos uma maior autonomia e interesse do grupo discente pela saúde materno-infantil e pediátrica e uma formação crítico-reflexiva sobre o processo de cuidar em enfermagem na perspectiva da integralidade.


Palavras-chave


ensino;enfermagem materno-infantil;enfermagem pediátrica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.33

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175