Prevalência clínica-epidemiológica dos pacientes cirúrgicos de varizes em membros inferiores

Thabata Coaglio Lucas, Frederico Pelli Seabra, Laura Petronilha Santos, Ezequiel Souza Almeida, Lucas Souza Costa, Ana Paula Rodrigues

Resumo


Objetivo: investigar a prevalência clínica-epidemiológica dos pacientes submetidos à cirurgia de varizes dos membros inferiores. Método: estudo prospectivo e transversal. Aplicou-se um questionário de qualidade de vida semiestruturado adaptado do Venous Insufficiency Epidemiological and Economic Study previamente à cirurgia e após 40 dias da cirurgia. Utilizou-se Teste de Qui-quadrado de Pearson para o valor esperado >5 e teste exato de Fisher para o valor <5. Significância quando p<0,005. Resultados: 75,8% das mulheres havia veias perfurantes antes da cirurgia e, 66 % delas permaneciam com veias varicosas após a cirurgia. 80% dos homens não apresentavam limitações no trabalho e, 61,7% das mulheres não havia limitações em casa e no trabalho no pós-cirúrgico. Uma prevalência de 72% dos participantes que havia trombose venosa profunda foi associada á hipertensão arterial e ao diabetes (p<0,05). Conclusão: Os resultados apontaram para a necessidade de uma vigilância epidemiológica sistemática e ativa dos pacientes que permanecem com veias varicosas no pós-cirúrgico e com risco de desenvolverem trombose venosa profunda e de eventos adversos físicos e psicológicos.

Palavras-chave


Descritores: Trombose; Procedimentos cirúrgicos Vasculares; Indicadores (estatística); Epidemiologia; Enfermagem baseada em evidências; Insuficiência venosa.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.3322

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175