Perfil clínico e sociodemográfico de pacientes com deficiência visual e diabetes mellitus

Evandro Scarso de Brito, Maria Helena Pinto, Denise Beretta, Daniele Alcalá Pompeo, Thiare Júnia de Francisco Brito, Rildo César Nunes Czorny

Resumo


Objetivo: Descrever e analisar as características clínicas e sociodemográficas de pacientes deficientes visuais diabéticos. Método: Estudo transversal, descritivo, desenvolvido em um Centro de Reabilitação Visual com 51 pacientes deficientes visuais diabéticos que participaram de uma entrevista estruturada. Foi realizada análise descritiva das variáveis, testou-se a normalidade pelo teste de Kolmogorov Smirnov, e a análise bivariada entre a variável dependente e as variáveis independentes utilizando o teste estatístico Regressão de Poisson. As associações foram consideradas estatisticamente significativas quando p< 0,05. Resultados: A maioria dos participantes era do sexo masculino (58,8%), com 60 anos ou mais (43,1%), branco (49,0%) e sem companheiro (56,8%). Os portadores de diabetes tipo 2 (54,9%) foram diagnosticados, há mais de dez anos (56,9%), apresentavam sobrepeso (43,15%) e eram hipertensos (74,5%). A maior parte da população entrevistada era cega (72,5%) e relatou que as doenças oculares foram a causa da deficiência visual. Entre os diabéticos, 47% dos pacientes tipo 1 apresentavam retinopatia diabética. Conclusão: A caracterização clínica e sociodemográfica dos pacientes deficientes visuais norteiam o gerenciamento do cuidado e os programas de promoção e prevenção a serem desenvolvidos, uma vez que as estratégias de controle das doenças sofrem diferentes influências, dependendo das características da população acometida.

Palavras-chave


Características da população; Diabetes Mellitus; Adulto; Idoso; Transtornos da visão.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.3475

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175